créditos: joshua benoliel
créditos: joshua benoliel
12345678910
Símbolo
2008
Instalação
Dimensões variáveis

http://simbolo2008.blogspot.com/

Café Portugal,
Adriana Molder, Ângela Ferreira, António Olaio, Carla Cruz, Célia Domingues, Eduardo Matos, Joana Vasconcelos, João Fonte Santa, João Pedro Vale, José Luís Neto, Mafalda Santos, Manuel Botelho, Miguel Palma, Nelson Crespo, Paulo Catrica, Pedro Amaral, Pedro Valdez Cardoso, Rui Calçada Bastos, Rui Moreira, Rui Toscano e Susana Mendes Silva
Curadoria de Filipa Oliveira

Agradecimentos:
Arquivo Fotográfico do Arquivo Municipal de Lisboa
Biblioteca-Museu República e Resistência
Museu da Presidência da República
Museu Maçónico Português
Nuno Neves
João Esteves
Adelaide e Carolina costuraram, em segredo, a histórica bandeira que veio a ser desfraldada, supostamente, na Praça do Município em Lisboa, na manhã da revolução republicana de 5 de Outubro de 1910.

Adelaide Cabete (1867-1935)
Apesar de orfã e de origens humildes, com o apoio do seu marido, inicia os estudos em 1885 e torna-se médica obstetra e ginecologista. Tendo sido a terceira mulher portuguesa a formar-se em Medicina.
Como republicana e feminista, desenvolveu uma intensa actividade militante a favor da dignificação do estatuto da mulher. Pertenceu à Maçonaria, bem como foi fundadora da Liga Republicana das Mulheres Portuguesas, com ligações ao partido republicano, que apoiou a queda da monarquia constitucional. Desiludida com a situação política do país partiu para Angola, em 1929, com o seu sobrinho Arnaldo Brasão, onde se dedicou sobretudo à medicina. Em 1933 foi a primeira e única mulher a votar em Luanda, Angola, a Constituição Portuguesa.

Carolina Beatriz Ângelo (1877-1911)
Médica e activista, está associada à fundação das primeiras organizações de mulheres em Portugal. Pertenceu à Maçonaria e foi membro da Liga Republicana das Mulheres Portuguesas, que tanto batalhava pela implantação da República, como reivindicava direitos e deveres iguais para ambos os sexos.
Recenseada com o nº 2513, Carolina Beatriz Ângelo votou nas eleições para a Assembleia Nacional Constituinte, ocorridas a 28 de Maio de 1911, tornando-se na primeira mulher a exercer o direito de voto em Portugal, ou em qualquer outro país da Europa do Sul. O acontecimento teve lugar na Assembleia Eleitoral de Arroios, instalada no Clube Estefânia. O momento histórico ficou registado num retrato tirado por Joshua Benoliel.

Não consegui descobrir onde se encontra esta bandeira, nem como seria ao certo o seu desenho. Determinadas fontes referem que a bandeira foi hasteada na Praça do Munícipio, outras na Rotunda, e uma outra versão refere, ainda, que teriam costurado mais do que uma bandeira. Nas fotografias de Joshua Benoliel percebemos que naquele 5 de Outubro soprava apenas uma ligeira brisa, pelo que as bandeiras, hasteadas em Lisboa, não esvoaçavam... Sabe-se, no entanto, que a bandeira de Adelaide e Carolina era de inspiração republicana: vermelha e verde.